Alunos do 3º Ano apresentam trabalho sobre Nazifacismo

Nos dias 5 e 6 de maio os 3ºanos realizaram apresentações sobre o Nazifascismo para as demais turmas . As apresentações foram organizadas pela professora Silvana e apresentadas em grupos . Cada grupo apresentou o cartaz escolhido e gráficos sobre o conhecimento do assunto por entrevistados.

P_20150506_105239_PN

G 3-3ºB

Anúncios

Semana Paulo Freire na ETEC Benedito Storani

paulinho s2

Paulo Régis Neves Freire, educador pernambucano, nasceu em 19 de setembro de 1921, na cidade de Recife. Foi alfabetizado pela mãe, que o ensinou a escrever com pequenos galhos de árvore. Com 10 anos de idade, a família se mudou para a cidade de Jaboatão em Pernambuco.

A importância de Paulo Freire, ao lado de outros diferentes movimentos e campanhas contra o analfabetismo e a educação popular que existiram no Nordeste e em outros estados do Brasil no início dos anos 60, foi a de ter contribuído de maneira peculiar, para dar nova amplitude ao debate sobre o tema da democratização da educação no país.

Principais Obras : 

1970- “Pedagogia do Oprimido” ;

1978- “Cartas a Guiné-Bissau: Registro de uma experiência em processo” ;

1979- “Educação e mudança” ;

1979- “Conscientização teórica e prática da libertação” ;

1981- “Ação cultural para a liberdade” ;

1983- “Extensão ou Comunicação?” ;

1985- “Por uma pedagogia da pergunta” ;

1986- “Medo e ousadia- O cotidiano do professor” ;

1989- “A importância do ato de ler: em três artigos que se completam” ;

1992- “Pedagogia da esperança- um reencontro com a pedagogia do oprimido” ;

1995- “Pedagogia: diálogo e conflito” ;

1996- “Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa” ;

1997- “Professora sim , tia não – cartas à quem ousa ensinar” ;

2000- “Pedagogia da indignação- cartas pedagógicas e outros escritos” ;

2001-“Paulo Freire, sua visão de mundo, de home e de sociedade” ;

2001- “Política e educação: ensaios” ;

2005- “Almanaque de Paulo Freire- Educar para Transformar”.

fontes :

G3- 3ºA

Show de Talentos

Nesta ultima segunda-feira, dia 27 de abril, foi realizado o Show de Talentos, onde as turmas do primeiro ano em técnicos de Alimentos e Nutrição se apresentaram para os demais alunos da escola. Alem disso, alguns alunos de outras séries também participaram do Show.

O evento foi organizado pelo professor de educação física Robson. E cada grupo ou dupla apresentou-se dançando ou cantando uma musica escolhida pelos componentes do grupo.

Dois alunos foram entrevistados a respeito do evento, Giovanni, que cursa o primeiro ano integrado ao técnico de Alimentos, e Luan, aluno do segundo ano do ensino médio.


Giovanni

Giovanni, 1º Alimentos

–O que você achou desta experiência de se apresentar na frente da escola?

Giovanni: Esquisita.

–Você já tinha tido essa experiência em outra escola? Os professores das outras escolas davam algum tipo de incentivo artístico?

Giovanni: Não, essa foi a primeira vez. Nas outras escolas não tínhamos nenhum tipo de incentivo artístico.

–Você se sente instigado de procurar outros meios para desenvolver sua capacidade artística?

Giovanni: Não.

–Na sua opinião, qual foi os pontos positivos e negativos dessa apresentação?

Giovanni: Ah, foi bom para perdermos a vergonha, para se acostumar como publico, e pontos negativos eu acredito que não tenha nenhum.


11195264_916223195087098_994544462_n

Luan, 2º Médio

–O que você acha da proposta da escola de levar a dança aos alunos?

Luan: Não, porque geralmente as escolas não dão essa iniciativa, as outras escolas oferecem apenas esportes como o futebol, no interclasse, mas aqui existe uma inovação, porque abre-se esse campo para o aluno poder mostrar o que realmente sabe, pois as vezes o anulo não tem uma afinidade muito boa com os esportes, e coma dança ele já se da bem.

–Você esta no segundo ano, a iniciativa de pedir a participação do Show de Talentos ou foi uma procura do professor ate você?

Luan: De ambos, porque eu estava ensaiando a coreografia  apenas para passar o tempo e em um dos ensaios o professor acabou passando por mim e dizendo que seria legal se eu apresentasse,e eu comentei que se ele deixasse eu me apresentaria.

–Quanto tempo você gastou de ensaio para essa coreografia?

Luan: Aproximadamente dois meses.

–Ouvimos dizer que você ajudou em algumas outras coreografias dos primeiro anos, gostaríamos de saber se você gostaria de seguir o ramo de professor de dança.

Luan: Eu pretendo começar um técnico de danças assim que terminar os estudos, pois agora não da por causa da questão de deslocamento e tempo.

–Mas, atualmente, você faz algum tipo de aula?

Luan: Sim, eu faço Jazz na Academia Baillare.


Confira também fotos de algumas apresentações.

11211789_915984258444325_2048102493_o       11180340_915984405110977_728088108_o

11211865_915984408444310_308219787_o       11202797_915984278444323_100812705_o

11194745_915984415110976_1916372671_o       11180577_915984411777643_2137821676_o

11180371_915984401777644_46222788_o       11180571_915984248444326_631627774_o

G2-3ºA

Aula diferenciada

 Dentre os eventos do mês de março, podemos destacar a aula de confecção de chocolate realizada com os alunos do 2° serie de Nutrição Integrado ao Ensino Médio . No dia 20 de março de 2015 os alunos se encontraram no laboratório de Panificação junto ao William, professor do Técnico de Turismo, formado em curso de confeitaria.

             Inicialmente, houve a explicação sobre a composição do chocolate e o esclarecimento da diferença dos sabores do mesmo (preto e branco). Durante o processo de confecção dos ovos de páscoa, o professor apresentou a distinção entre a fabricação do chocolate em barra e o fracionado, levando em consideração que o chocolate em barra é visto como nobre em relação ao fracionado.

IMG-20150321-WA0033

Segundo as alunas, o chocolate em barra foi picado em pequenos cubinhos e, em seguida, levado ao forno microondas de 30 em 30 segundos para derreter. Este, depois de derretido, foi apoiado em uma pedra clara (como o mármore) para que se resfriasse e atingisse a temperatura de 30° C. Entretanto, a temperatura não estava ideal, porque os termômetros usados marcavam diferentes temperaturas, o que gerou certa dificuldade para o mesmo endurecer, não atingindo o resultado esperado. Por outro lado, o chocolate fracionado, apenas precisou ser derretido e enformado.

              Após a apresentação de ambos os processos de fabricação, os alunos foram divididos em grupos com quatro pessoas para que pudessem realizar a confecção, utilizando o chocolate fracionado (método mais prático). Decorrido o processo de endurecimento, o chocolate foi então degustado.

IMG-20150320-WA0002      IMG-20150321-WA0020

              Ao final de todo trabalho, o professor William sorteou prêmios relacionados a aula, como revistas e formas, e ainda doou outra forma para complementar a rifa do 2° Nutrição.

G 2 – 3°B