Exposição Salvador Dalí – SP

Sendo uma das maiores retrospectivas artísticas já feitas no país, a Exposição de Salvador Dalí, no Instituto Tomie Ohtake, estreou no dia 16 de outubro, e permanece em cartaz até 11 de janeiro de 2015. A exposição conta com mais de 200 obras do mestre do surrealismo, e convida o público a mergulhar em universo místico e fantasioso.

O conjunto da exposição é formado por 135 trabalhos entre desenhos e gravuras, 24 pinturas, 15 fotografias, além de quatro filmes. Os visitantes poderão acompanhar a produção de Dalí desde os anos 1920, até o fim de sua carreira, observando sua evolução artística e suas diferentes interpretações.

foto2salvador

Exposição Salvador Dalí
Data: 16 de outubro de 2014 a 11 de janeiro de 2015.
Horário de funcionamento: de terça a domingo, das 11h às 20h.
Local: Instituto Tomie Ohtake.
End.: Rua dos Coropés, 88 — Pinheiros — zona Oeste — São Paulo.
Grátis.
Tel.: (11) 2245-1900.
www.institutotomieohtake.org.br

Nº 27 3ºB

Anúncios

Com 77 mil inscritos, vestibular 2015 da Unicamp bate recorde

A Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) recebeu um número recorde de inscrições para o vestibular 2015, com 77.128 inscritos. Ano passado o número foi 73.818.

Medicina é a carreira com a maior concorrência, com 22.415 candidatos, resultando em 204 candidatos por vaga.

Em seguida, vêm as carreiras de arquitetura e urbanismo (115 c/v), engenharia civil (54 c/v), comunicação social-midialogia (51 c/v), engenharia química – Integral (46 c/v), ciências biológicas – Integral (46 c/v), engenharia de produção (38 c/v), geologia (33 c/v), engenharia mecânica – Integral (29 c/v) e história (27 c/v).

O índice de candidatos oriundos de escolas da rede pública ficou praticamente estável: 26,6% do total de inscritos; no vestibular 2014 foi 27%.

Vestibular
No total, são oferecidas 3.320 vagas distribuídas em 70 cursos da Unicamp.

A primeira fase será realizada em 23 de novembro de 2013 e a segunda fase, nos dias 11, 12 e 13 de janeiro de 2015. As provas serão realizadas em 20 cidades do Estado de São Paulo, além de Brasília: Bauru, Campinas, Guarulhos, Jundiaí, Limeira, Mogi das Cruzes, Mogi Guaçu, Piracicaba, Presidente Prudente, Ribeirão Preto, Santo André, Santos, São Bernardo do Campo, São Carlos, São João da Boa Vista, São José do Rio Preto, São José dos Campos, São Paulo, Sorocaba e Sumaré.

O processo seletivo será realizado em duas fases. A primeira fase tem duas partes: parte de conhecimentos gerais (com 90 questões de múltipla escolha, baseadas nos conteúdos das diversas áreas do conhecimento desenvolvidas no ensino médio).

Todas as provas da segunda fase serão discursivas. No primeiro dia os candidatos fazem a prova de redação e os exames de língua portuguesa e de literaturas da língua portuguesa; no segundo dia serão aplicadas as provas de matemática, história e geografia; já o terceiro dia é destinado para a prova de física, química e biologia.

Enem
Sobre o uso da nota do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) na composição do resultado do vestibular, a Unicamp informa que:

– só serão utilizadas as notas do Enem para fins de classificação para a segunda fase do vestibular caso o Ministério da Educação disponibilize o cadastro e as notas relativas ao Enem 2013 até o dia 27 de novembro de 2014. Caso contrário, as notas do Enem, de 2013 ou de 2014, não serão consideradas para nenhum candidato nessa fase do vestibular;
– só serão utilizadas as notas do Enem para compor a nota da primeira fase no cálculo da nota final do vestibular caso o Ministério da Educação disponibilize o cadastro e as notas relativas ao Enem 2014 até o dia 20 de janeiro de 2015. Caso contrário, as notas do Enem, de 2013 ou de 2014, não serão consideradas para nenhum candidato do vestibular.

Mudanças
Em relação ao formato do vestibular, a Comvest promoveu a adequação das provas. A prova de redação será aplicada na segunda fase e a primeira fase, que antes tinha 48 questões de múltipla escolha, passará a ser composta por 90 questões de múltipla escolha.

A partir deste ano, a Famerp (Faculdade de Medicina e Enfermagem de São José do Rio Preto) não participa mais do Vestibular Unicamp.

Lembrando que amanhã,serão divulgados os locais de prova no site http://www.comvest.unicamp.br/index.html

G4 – 3ºA

Nos dias 21, 22 e 23 aconteceu no Expo Barra Funda a 8° FETEPS, que é o espaço para a demonstração e socialização de projetos de pesquisa, produções culturais, serviços e experiências bem sucedidas das escolas técnicas e faculdades de tecnologia do Centro Paula Souza, assim como de integração das instituições de educação profissional pública entre de diversos estados do País e de parceiros da América Latina.

A Etec Benedito Storani pode estar participando dessa feira, e os alunos que foram relatam que foi uma experiência incrível.

A escola técnica levou para feira dois projetos que foram desenvolvidos em aula. Um deles foi o Travesseiro Despertador para Deficientes Auditivos, onde desenvolveram nas aulas de Projeto Técnico Científico no segundo ano, e o outro foi o Projeto Turismo Acessível, que conta com a parceria dos cursos técnico de turismo receptivo, nutrição e dietética e agropecuária, que também foram desenvolvidos nas aulas.

Os dois projetos ganharam troféus, porém, mas valioso do que levar coisas matérias, é a experiência e as lembranças boas que os alunos e professores levaram para casa da feira, e quantas lembranças.

Etec Benedito Storani

G1 Hellen,Lucília,Taciana,Nathália, Samuel e Rafaela Ramos.

Perguntas e respostas sobre a crise de água em São Paulo

A crise de abastecimento que assola o estado de São Paulo, em especial a capital, entrou de vez no debate eleitoral nacional. O problema é resultado da falta de planejamento do governo Paulista diante da – prevista – pior estiagem desde 1953. Hoje, a principal fonte de captação de água da Região Metropolitana de São Paulo, o Sistema Cantareira, está com apenas 3% de sua capacidade e, segundo o Datafolha, 67% dos paulistanos já sofrem com a falta d’água. Tire suas dúvidas sobre a situação:

A falta de água em São Paulo é “culpa de São Pedro”, ou seja, de uma estiagem histórica?
Não. A estiagem severa que assola São Paulo e outras regiões do País era prevista. Veja o que os promotores afirmam na Ação Civil Pública proposta para barrar a retirada de mais água do Cantareira: “A significativa redução das precipitações no estado de São Paulo, outrossim, já era fenômeno detectado há anos, sem que as medidas para a redução das vazões de retirada tenham sido implantadas pelos órgãos gestores e pela operadora do sistema produtor (Sabesp), visando à preservação daquele manancial”.

O que é o Sistema Cantareira?
Uma Fonte de Captação, ou seja, um local do qual a Sabesp retira a água que posteriormente trata e vende a seus clientes. O Cantareira é a principal fonte de captação da Grande São Paulo. Os outros sistemas que abastecem a região, por ordem de importância, são o Guarapiranga, o Alto-Tietê, o Rio Claro, o Rio Grand, o Alto-Cotia, o Baixo-Cotia e o Ribeirão Estiva.

O que o governo do estado deveria ter feito para evitar a falta de água?
Em 2004, ao receber a concessão para uso do Sistema Cantareira, o governo de São Paulo e a Sabesp foram informados sobre a necessidade de planejamento e investimentos em novas fontes de captação, a fim de evitar a atual crise. Em seu artigo 16, o documento da concessão estipulava que a Sabesp “deveria realizar em 30 meses estudos e projetos que viabilizem a redução de sua dependência do sistema (Cantareira)”. Como a atual crise comprova, isso não foi feito.

O governo criou algum novo sistema que pudesse compensar a seca do Cantareira?
Não. O Sistema Produtor São Lourenço poderia ajudar, mas não resolver o problema. O problema é que a sua implementação, responsabilidade do governo estadual, está atrasada em dois anos. O São Lourenço colocaria cerca de 5 metros cúbicos por segundo a mais no sistema de abastecimento. Seria uma boa ajuda. Para se ter uma ideia, o Cantareira produz 33 metros cúbicos. Além do atraso nas obras, o projeto licitado pela gestão Alckmin é apenas parte de um projeto maior que deveria ter sido feito de acordo com os estudos do próprio governo estadual.

O que mais o governo Alckmin poderia ter feito?
Como tinham sido informados do problema, a Sabesp e o governo deveriam estar promovendo, há anos, medidas como: campanhas para o uso racional da água (que ficaram mais fortes apenas recentemente); mudar o sistema de cobrança, para encarecer a água de quem desperdiça e dar descontos para quem economizar e, por fim, reduzir o desperdício no sistema de distribuição (vazamentos etc.).

A Sabesp é do governo do estado?
A Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo tem 50,26% das ações da Sabesp. Os outros 49,74% das ações estão nas mãos de acionistas privados.

Por que os acionistas da Sabesp receberam bilhões do estado? O governo escolhe quanto vai pagar?
Quem escolhe quanto os acionistas vão receber é o conselho gestor da companhia, composto por indicações do governo. O estatuto da empresa prevê um repasse de até 25% do lucro líquido para os acionistas, podendo ser menor, a depender da necessidade de aumento nos investimentos. Nos últimos anos, a Sabesp tem repassado valores acima desse porcentual aos seus acionistas. Segundo o Ministério Público, do total de dinheiro enviado aos acionistas, 73% é obtido com a venda da água retirada do Cantareira. Em 2012 e 2013, o porcentual do lucro líquido destinado aos acionistas foi o mesmo: 27%, ou 534 milhões de reais. Em 2011, contudo, o porcentual foi bem maior: 43% do lucro líquido obtido com a venda de água para a população – o equivalente a 578 milhões de reais.

O que vai acontecer, a água de São Paulo vai acabar de vez?
A água não vai acabar de uma vez. O que vai acontece é que a estiagem deverá perdurar, e enquanto os sistemas de captação se recuperam será necessário diminuir o consumo, ou seja, teremos de racionar.
Já existe um racionamento informal de água?
O governo não admite, mas há dezenas de relatos na imprensa e nas redes sociais de moradores e empresários que sofrem com falta sistemática de água em um determinado horário ou com uma frequência fixa.

O que é o volume morto? Ele vai pode durar mais quanto tempo?
O volume morto, ou reserva técnica, é o volume de água que está abaixo do nível de captação das represas. São as partes mais profundas das represas que formam o Sistema Cantareira. Sem novas chuvas e mantido o atual nível de consumo, deverá durar, no máximo, até os primeiros três meses de 2015.

O que é ANA? E o Daee?
A ANA é a sigla de Agência Nacional de Águas, órgão ligado ao governo federal e responsável por “implementar e coordenar a gestão compartilhada e integrada dos recursos hídricos e regular o acesso à água”. O Daee é o Departamento de Águas e Energia Elétrica do governo do estado de São Paulo.

A Ana “manda” no governo estadual?
Não. Ela deve fiscalizar a utilização dos recursos hídricos em todo o Brasil, porém, sem poder de ingerência sobre estados ou municípios.

O verão está chegando. As fortes chuvas destas épocas não vão resolver o problema?
Como foi explorado além do que suportaria, o Sistema Cantareira pode não conseguir se recuperar totalmente com as chuvas de verão, o que deverá comprometer o abastecimento na próxima estação seca.

Fonte: Carta Capital
– G4; 3°A

Como fazer revisão para o Enem !!!

Veja quais conteúdos você deve priorizar na etapa final de estudo

Falta pouco: em cerca de duas, mais de oito milhões de estudantes farão a prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), que ocorrerá no fim de semana dos dias 8 e 9 de novembro. O exame é porta de entrada para milhares de vagas no ensino público e privado. Por isso, não dá para bobear faltando apenas quatro semanas para a prova, não é?

A revisão é parte muito importante da etapa final de estudos e deve ser o seu foco principal nessas últimas semanas. É importante valorizar a objetividade, analisando quais conteúdos mais caem na prova e quais matérias e assuntos você deve priorizar na hora de rever tudo de novo. Para isso, o GUIA separou um conteúdo especial, preparado com professores, para te ajudar na revisão. Hora de estudar!

Estudo na reta final

Para a revisão, o mais importante é saber organizar o seu tempo. Se até o Enem teremos quatro semanas, é importante programar os estudos e definir quais matérias vão ser estudadas em cada dia. Para o professor Célio Tasinafo, coordenador pedagógico do cursinho Oficina do Estudante, o candidato deve estar preparado para fazer essa seleção. “Não adianta desperdiçar tempo e esforços com aqueles tópicos nos quais sempre teve dificuldades. O aluno também não conseguirá uma melhoria no desempenho geral com o estudo daquilo que já domina bastante”, explica. No entanto, isso não significa largar o estudo por completo de uma matéria! É importante saber escolher, dentro de todas as disciplinas, quais tópicos são importantes e ainda podem ser estudados.

Se você ainda não pegou nenhuma prova do Enem para tentar resolver inteira, não perca mais tempo: essa é a hora. Desde que o Enem passou a ter o formato atual, em 2009, já temos 11 provas disponibilizadas pelo Ministério da Educação (MEC), contando as edições para presidiários e a segunda aplicação de 2010. Mas, por que treinar com a prova inteira ao invés de simplesmente resolver questões aleatórias do Enem? A razão é simples: refazer as provaspode ajudar a acostumar com o estilo do exame, o tipo de questões que costuma ser cobrado e, também, a mapear os assuntos que caem mais em cada disciplina.

Na hora de refazer a prova, o professor Alexandre Linares, do Cursinho Henfil, recomenda escolher “a pior cadeira que tiver em casa”. “A cadeira em que você vai fazer a prova tem muita chance de ser uma cadeira bem desconfortável. A prova do Enem é também uma prova de exaustão física, por isso você tem que estar preparado para enfrentar essa maratona”, explica. Além disso, fazendo a prova você pode avaliar também o quão preparado está para enfrentar o exame – e saber quanto esforço terá que fazer até o dia 8.

Além disso, o formato do Enem pede um tipo de preparação diferente do que é exigido pelo vestibular tradicional. “O domínio da linguagem é a essência do Enem, porque é a partir dela que você vai dominar o que a prova requer”, explica o professor Alexandre. Por isso, a prova do Enem exige muito mais compreensão e habilidade do que só “decoreba” de conteúdo. Nessa reta final, dê prioridade à leitura – mas muita leitura mesmo! “O aluno deve se acostumar à leitura de diversos tipos de textos, especialmente literários, notícias de jornais, artigos e crônicas”, explica a professora Fernanda Carvalho Bomfim, do Cursinho do XI. Aqui, é importante lembrar que o Enem é uma prova que cobra muita interpretação de texto – até nas questões de Exatas! -, e desenvolver bastante a leitura possibilita uma qualidade maior na correlação de informações.

Na hora de revisar, também é preciso dar atenção especial à redação, que no Enem conta como uma prova separada. “A redação é a única prova em que você pode chegar a 1000 pontos. Eu sempre recomendo: se você quer entrar em uma boa universidade, dedique-se a fazer redação”, diz o professor Alexandre Linares. Para treiná-las, também só há uma saída: fazer o máximo de dissertações possível até a prova. Só nas provas do novo formato do Enem, temos 11 temas já utilizados. Se necessário, também dá para usar as redações do formato antigo, a partir de 1999.

Agora, você sabe o passo a passo de uma boa revisão. No entanto, também é necessário saber quais temas podem ser cobrados, não é? Então, confira abaixo quatro tabelas com os assuntos nos quais você deve focar na reta final.

Ciências da Natureza e suas Tecnologias
É possível que os assuntos que se destacaram mais nos acontecimentos do ano sejam priorizados nas questões. Deve ser dado enfoque em: água, com destaque para o estresse hídrico e suas razões e implicações; energia, com destaque para a eólica e xisto; vacinas, com destaque para o que é e as campanhas de vacinação; lixo, com destaque para a Lei de Resíduos Sólidos.

Para Biologia, estude:

– Assuntos ligados à ecologia (ciclos biogeoquímicos – carbono, água e nitrogênio)
– Poluição ambiental
– Teias alimentares (energia e matéria) e bioquímica relacionada à botânica (fotossíntese)
– Fisiologia (humanos e doenças)
– Citologia (incluindo manipulações de DNA)

Para Química, estude:

– Cálculo estequiométrico
– Equilíbrios químicos
– Soluções
– Termoquímica
– Isomeria (plana e espacial)

Para Física, estude:

– Relações energéticas
– Transformações de energia
– Circuitos elétricos
– Energia mecânica
– Leis de Newton
– Empuxo
– Propagação de ondas

Ciências Humanas e suas Tecnologias
As questões têm privilegiado a leitura de textos, a análise de fotos, charges e obras de arte, e a comparação entre texto e imagem. Nas questões de Filosofia e Sociologia, têm havido um pouco mais de cobrança de conceitos fundamentais. Além disso, é importante focar também em assuntos que envolvem os direitos humanos, como luta do operariado, movimentos populares anti-escravidão no Brasil, e luta das mulheres por diretos civis e políticos.

Para História, estude:

Brasil:
– 150 anos do início da Guerra do Paraguai (1864-1870)
– 60 anos do suicídio de Getúlio Vargas
– 50 anos do Golpe de 1964
– 30 anos das “Diretas Já”

Mundo:
– 100 anos da Primeira Guerra Mundial
– 20 anos do fim do apartheid na África do Sul
– 25 anos do Massacre da Praça da Paz Celestial
– 25 anos da queda do Muro de Berlim

Para Geografia, estude:

– Urbanização (cidades, problemas sociais e ambientais urbanos)
– A questão da indústria mundial, questões ambientais (desmatamento, desgaste de solos)
– Energia (construção de usinas hidrelétricas e suas consequências para o meio ambiente e sociedade)
– Água (de abastecimento à geração de energia).

Linguagens, Códigos e suas Tecnologias
Português:

Na prova de Linguagens, é frequente a cobrança das funções da linguagem, como a referencial, a denotativa, a emotiva e a conotativa. Dentre elas, a mais importante é afunção metalinguística e tem mais chances de cair.

Apesar de o Enem não exigir muito o conhecimento específico dos movimentos literários, são muito cobrados os textos de autores clássicos como Machado de Assis, Guimarães Rosa e José de Alencar. É possível que caia comparação entre o estilo desses autores com autores de outros movimentos literários, como Camões, por exemplo. Além disso, autores mais contemporâneos também vêm ganhando espaço nas provas.

São frequentes as questões que falam do mundo virtual, como a linguagem utilizada pelos usuários, as relações estabelecidas nas redes sociais, a substituição do livro de papel pelo digital e o uso da informação.

Costumam também aparecer questões que falam sobre a diversidade cultural, a identidade, através de textos jornalísticos, críticos e obras de arte diversas, como pintura, escultura, dança e fotografia.

Inglês e espanhol:

A prova de língua estrangeira do Enem é famosa por cobrar bastantes charges, que podem conter um volume grande de texto, muitas vezes contextualizado na pergunta. Nesses casos, deve-se buscar a interpretação que faz coerência pelo jogo de sentido entre a imagem e o texto da charge. São, basicamente, questões de interpretação e dedução.

Além disso, a prova exige compreensão de textos maiores em prosa, que requer cuidado na hora de ser respondida. Muitas vezes, o enunciado da questão já deixa claro o modo com que se deve ler o texto e o que o examinador espera que se responda.

>> O que você precisa saber para mandar bem nas provas de inglês, espanhol e português dos vestibulares e Enem

Um ponto a que se deve dar atenção são os falsos cognatos, palavras que têm escrita semelhante a uma palavra em português, mas com significado completamente diferente. Exemplo: “Apology”, em inglês, significa “pedido de desculpas”, mas poderia ser confundida com “apologia”, em português.

Dica: atenção às alternativas que apresentem palavras como NUNCA, JAMAIS, SEMPRE. Geralmente, essas opções com palavras restritivas não costumam corresponder à resposta correta.

Matemática e suas Tecnologias
A prova de Matemática é forrada de gráficos e tabelas que devem ser cuidadosamente analisados e interpretados. No entanto, a resolução das questões depende de conhecimentos específicos.

Estes conhecimentos específicos, por sua vez, nem sempre são apresentados de forma direta. Por exemplo: num vestibular tradicional, uma questão de progressão aritmética (PA) é anunciada com a frase “Em uma PA (…)”. No Enem, isso também pode ocorrer, mas existe a preferência em se criar uma situação em que o aluno reconheça que se trata de uma PA.

Estude:

– Porcentagem
– Conversão de medidas
– Sólidos geométricos
– Cálculo de área
– Funções trigonométricas
– Funções do 1º e do 2º graus
– Equações do 1º e do 2º graus
– Razão e proporção (regra de três, diretamente proporcional ou inversamente proporcional).

G4- 3°A

Fonte:http://guiadoestudante.abril.com.br/

A importância de ter um curso de inglês

Seja qual for a área de atuação, gestores e gerentes buscam contratar pessoas que além de passarem confiança, tenham diferenciais para que haja destaque na empresa. Por isso, todos aqueles que pretendem subir de cargo, ganhar confiança e reconhecimento da equipe e se desenvolver no ambiente de trabalho devem procurar formas para alcançar esses objetivos.

Uma das maneiras mais corretas para conseguir “ganhar pontos” na profissão, é ter cursos extracurriculares e procurar serviços que acrescentem conhecimento e bagagem cultural. Temos como exemplo o Curso de Inglês e o Curso de Oratória. Veja a seguir como essas duas opções podem melhorar sua carreira profissional e conheça a importância desses cursos.

Curso de Inglês é fundamental

Sendo assim, investir em um Curso de inglês pode trazer muitas vantagens para a sua vida profissional, como também, para o lado pessoal. Afinal, além de aumentar seu conhecimento e nível cultural, você pode aprender mais sobre a língua inglesa e ter facilidades para praticar a comunicação com outras áreas ou até mesmo participar de reuniões e congressos.saber outros idiomas para se destacar em uma empresa e ter novas oportunidades no mercado de trabalho. Porém, hoje em dia, ter o inglês deixou de ser um diferencial e passou a ser praticamente indispensável e obrigatório, já que a língua é a segunda oficial do mundo.

Além disso, o inglês é usado em nosso dia a dia sem que muitos percebam. Mas, saber e ter conhecimento no idioma é importante para todas as carreiras, desde a área de negócios e gestão, até o lazer, turismo, hotelaria e gastronomia, por exemplo. Por isso, ao se comunicar bem em inglês, o mercado de trabalho abrirá portar para você e fará com que tenha novas experiências profissionais e cresça cada vez mais.
Fonte: http://www.mestredomarketing.com
G1          3ºB           nº32

Alimentação para vestibulandos

Com tanta coisa pra estudar, aprender, ler e reler quem está em ano de vestibular às vezes esquece até de comer direito. E como “saco vazio não pára em pé”, sem comida nada funciona em nosso organismo, principalmente a cabeça, certo? Só que se entupindo de fast food, salgadinhos, doces e refrigerantes você só detona o seu organismo e atrapalha seu rendimento mental (já que este depende de um bom funcionamento do corpo). Então, é preciso aprender a comer direito. E isso não vale só para a véspera da prova de vestibular, é essencial que os vestibulandos adotem uma dieta alimentar saudável que, com certeza, só irá contribuir para aproveitar melhor o dia, ter mais disposição e evitar doenças.

Mudança de hábitos

Mudando alguns hábitos alimentares é possível melhorar o desempenho escolar, aumentar a disposição e a concentração, além de aproveitar os benefícios adquiridos pela ingestão de alimentos ricos em nutrientes e vitaminas (como uma boa memória, sono tranqüilo e aumento da imunidade).

Não é preciso que você mude toda a sua rotina alimentar de um dia para o outro (seu organismo tem de ser acostumado aos poucos), mas veja algumas ações que você pode, aos poucos, adotar como hábitos:

– Faça pelo menos cinco refeições por dia (comer de 3 em 3 horas intercalando as refeições principais com frutas ou lanches leves);

– Beba bastante líquido. No mínimo 1,5 litro ou 8 copos de água, suco de frutas ou água de côco por dia, para manter o organismo hidratado;

– Evite o consumo excessivo de café, mate e guaraná natural, ricos em cafeína (principalmente os mais ansiosos). Beba, no máximo, 4 xícaras pequenas de café por dia;

– Cuidado para não se viciar em produtos estimulantes e energéticos (muitos bebem para atravessar a noite estudando), pois eles prejudicam o organismo e pioram o quadro de ansiedade;

– A má alimentação não fornece energia necessária para a maratona de estudos e pode baixar o sistema imunológico deixando o estudante suscetível a doenças ocasionais como gripes e resfriados;

– Mantenha um espaço curto entre as refeições para evitar a hiperglicemia baixa (queda na taxa de glicose) que pode causar tontura, suor frio e raciocínio lento. Evite longos períodos de jejum.

– Melhor fonte de energia é o carboidrato, presente em grande quantidade em massas e pães, ele é o principal combustível para o cérebro, mantendo a força física e mental do organismo.

– Complexo B presente em produtos integrais e cereais também é um ótimo estimulante para o cérebro (barrinhas de cereais e granola).

– Minerais e ácidos graxos presentes em nozes, castanhas, atum e salmão ajudam a manter a memória e a concentração saudáveis.

– As frutas, que possuem em abundância vitaminas e minerais, ajudam a manter a força física e mental.

Alimentação saudável

A alimentação saudável é indispensável principalmente na véspera e no dia da realização de uma prova de vestibular. É importante que seu organismo não receba nada que o force ou o agrida, pois este será um dia de muita ansiedade, o que já o deixará prejudicado. Portanto, confira abaixo algumas sugestões e dicas para esse dia tão importante:

Para o dia da prova:
Café da manhã completo:
– Vitaminas e minerais: frutas
– Fibras: porção de cereais
– Carboidratos: fatia de pão ou biscoito
– Proteínas: leite, iogurte ou queijo.
Almoço:
– Evite alimentos que não está acostumado a ingerir (não queira comer pela primeira vez um acarajé baiano na véspera da prova!);
– Evite refeições grandes e pesadas com alta concentração de proteínas como uma feijoada, bife à milanesa ou alimentos à base de creme de leite;
– Alimentos com alto teor de proteína e gordura devem ser evitados, pois levam maior tempo no processo de digestão, provocando sonolência.

É aconselhável levar algum alimento e líquido consigo no dia da prova. Mas não é qualquer alimento. Veja o que é mais indicado:

Prefira:
– Frutas, barras de cereais, água ou água-de-coco;
– Chocolate em pequena quantidade (diminui a ansiedade, fornece uma sensação de tranqüilidade, energia e disposição).

Evite:
– Balas, salgadinhos e refrigerantes, pois aumentam o apetite e provocam perda de concentração.

Atitudes simples podem ser tomadas para mudar hábitos que só prejudicam a saúde e o desempenho de quem vai encarar uma maratona de estudos. Prepare-se bem para o vestibular e isso inclui também alimentar-se bem e, assim, estar um passo à frente de muita gente.

Fonte: http://vestibular.brasilescola.com/dicas/alimentacao.htm

G1 3ºB Nº 37