Bebês programados para salvar vidas

Através da fertilização in vitro, pais decidem fazer novos bebês a fim de salvar a vida dos filhos que possuem doenças graves.

A fertilização in vitro, popularmente chamada de “bebê de proveta”, é um assunto que causa grande polêmica desde sua invenção, em 1978, na Inglaterra. No Brasil, a técnica foi usada pela primeira vez em 1984. A fertilização de um óvulo por um espermatozoide fora do corpo materno ainda não é aceita por muitos grupos sociais.

Imagem

Agravando ainda mais a polêmica, em 2001, a Inglaterra usou essa técnica para a seleção de um embrião que fosse geneticamente 100% compatível com uma criança que estava doente. Os médicos selecionaram o embrião, que não apresentava genes da doença, com o objetivo de salvar a vida do outro filho do casal.

Desde então, não houve tantos casos parecidos devido às brigas judiciais por conta de questões éticas. Entretanto, esse panorama vem mudando nos últimos anos e pelo menos vinte casais brasileiros já deram início a um procedimento parecido, segundo o médico geneticista Ciro Martinhago.

 Imagem

Em fevereiro de 2012, nasceu a primeira brasileira, Maria Clara, concebida com o objetivo de salvar a vida da irmã mais velha, que tinha talassemia major, doença sanguínea rara que pode levar à morte. A doença é decorrente da deficiência da medula óssea, que passa a produzir menor quantidade de eritrócitos, podendo acarretar em anemias graves.

 

Após Maria Clara completar um ano de vida, ela foi submetida à sucção de parte da sua medula óssea, que posteriormente foi transplantada para sua irmã mais velha, Maria Vitória.

 

Segundo Jenyce Cunha, mãe das garotas, o nascimento da caçula trouxe muita alegria, pois, além de aumentar a família, também representou o fim das sessões de transfusão de sangue a que a filha mais velha era submetida a cada três semanas.

Mas o processo de seleção de um embrião com as características desejadas não é tão simples como pode parecer. Na primeira tentativa, o casal gerou seis embriões, sendo que todos foram descartados porque ou tinham a mesma doença da filha de 4 anos ou porque eram incompatíveis. Na segunda tentativa, foram produzidos dez embriões, sendo que apenas um deles era 100% compatível e não apresentava talassemia, além de outro embrião que tinha apenas traços da doença. Os dois embriões foram implantados em Jênyce, sendo que apenas um se desenvolveu normalmente.

 

Geneticistas e médicos alertam também sobre o perigo de vidas serem concebidas com o único propósito de salvar a vida de outras crianças. Eles ressaltam a importância de verificar juntamente com os pais o verdadeiro interesse pelos novos filhos.

 

Por enquanto, o Brasil não apresenta nenhuma legislação que regulamente a seleção prévia dos embriões e nem do que deve ser feito com os materiais genéticos que são gerados durante o processo e que não são utilizados posteriormente.

 Imagem

 

Allana nº04 3ºB G2

Anúncios

Top 10 profissões mais rentáveis no Brasil.

Algumas áreas e profissões têm ganhado destaque nos últimos anos no Brasil. Tecnologia da informação, Petróleo e Gás, Medicina e Pesquisas Científicas estão entre elas.
Assim, antes de escolher uma profissão analise sua vocação, o salário que gostaria de receber e as condições do mercado de trabalho para a área escolhida.
A Fundação Getúlio Vargas divulgou as profissões mais rentáveis no Brasil no ano de 2012. O estudo avaliou sete regiões brasileiras: São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Recife, Curitiba, Porto Alegre e Interior de São Paulo.

Veja abaixo a lista das 10 profissões mais rentáveis do país:
1 – Medicina (mestrado ou doutorado) – Salário médio: R$ 8.966,07

2 – Administração (mestrado ou doutorado) – Salário médio: R$ 8.012,10

3 – Direito (mestrado ou doutorado) – Salário médio: R$ 7.540,79

4 – Ciências econômicas e contábeis (mestrado ou doutorado) – Salário médio: R$ 7.085,24

5 – Engenharia (mestrado ou doutorado) – Salário médio: R$ 6.938,39

6 – Medicina (graduação) – Salário médio: R$ 6.705,82

7 – Outros cursos de engenharia (graduação) – Salário médio: R$ 6.141,05

8 – Engenharia mecânica (graduação) – Salário médio: R$ 5.576,49

9 – Engenharia civil (graduação) – Salário médio: R$ 5.476,85

10 – Outros cursos de mestrado ou doutorado – Salário médio: R$ 5.439,32

 
Vanessa Marques n°35/3°A/ G2

Governo admite crescimento abaixo de 3,5% em 2013

Governo não pretende adotar novas medidas de estímulo, diz Mantega

 

Ministro destaca forte crescimento dos investimentos no 1º trimestre.
Ele admitiu, no entanto, PIB do ano não deve chegar aos 3,5% previstos.

 

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, declarou nesta quarta-feira (29) que o governo não adotará novas medidas de estímulo à economia, apesar do resultado do Produto Interno Bruto (PIB) abaixo do esperado por economistas.

“Já fizemos várias medidas de estímulo. Do ponto de vista da taxa de juros, é a mais baixa dos últimos tempos. Não pretendemos fazer estímulo ao consumo, que tem de se recuperar a partir do dinamismo dos investimentos. Os estímulos ao investimento estão todos em cima da mesa. Não prevemos novos estímulos”, declarou ele.

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) informou nesta quarta-feira (29) que o Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro cresceu 0,6% no primeiro trimestre deste ano, contra os três últimos meses do ano passado, valor que ficou abaixo do esperado por economistas ouvidos pelo G1, que estimavam aumento entre 0,8% e 1%, e também da prévia do PIB do Banco Central, que avançou 1,04%. Em todo o ano de 2012, a economia a economia do país cresceu 0,9%.

 

Programa de desonerações continua

Segundo Mantega, o programa de desonerações adotado pelo governo brasileiro terá continuidade. A previsão para este ano, que inclusive já consta no orçamento revisado de 2013, é de R$ 72 bilhões em reduções de tributos.

“Os estímulos que foram tomados continuarão exercendo efeito. A desoneração da folha entrou em vigor plenamente mais agora. Começou em 2012, mas agora são mais setores que estão nesta desoneração. Igualmente para outras medidas cuja eficácia vai se fazer sentir ao longo deste ano”, afirmou.

 

‘Qualidade’ do crescimento

Apesar do fraco resultado do PIB, Mantega destacou que sua “qualidade melhorou”, uma vez que a expansão do PIB foi puxado pela expansão dos investimentos – que avançaram 4,6% no primeiro trimestre, o maior crescimento desde o primeiro trimestre de 2010, quando a alta foi de 4,7%.

 

Como é calculado o PIB

O Produto Interno Bruto (PIB) representa a soma do valor de tudo o que é produzido no país durante determinado período. Na conta, entram todos os tipos de bens e serviços, mas não entram no cálculo os bens já existentes. O valor do PIB representa o quanto a economia do país produziu, não o quanto ela “vale”. Leia mais

“Um forte crescimento dos investimentos é o que puxou o crescimento do PIB neste primeiro trimestre, o que significa um crescimento de qualidade na economia. Significa que os estímulos que temos dado têm surtido efeito. O investimento deixou para trás o consumo, que cresceu menos neste primeiro trimestre”, avaliou ele, acrescentando que a presidente Dilma Rousseff ficou “muito satisfeita” com o resultado dos investimentos.

 

Previsão para o PIB cairá

O ministro da Fazenda também admitiu que a economia brasileira não deverá crescer no ritmo de 3,5% neste ano – que está contido no orçamento federal de 2013 – e que este valor certamente será revisado para baixo.

Entretanto, de acordo com ele, a expansão será maior do que os 0,9% registrados em 2012. Ele não citou, porém, um valor para a nova previsão. A taxa de crescimento da economia de 0,6% no primeiro trimestre deste ano, segundo ele, representa uma expansão anualizada de 2,2% do PIB brasileiro.

“Estávamos em 3,5% [no orçamento], mas certamente vamos rever esse número. Não posso olhar só para o primeiro trimestre. Tenho de olhar para os trimestres sucessivos. Estamos no meio do segundo trimestrre e os dados são muito bons, principalmente de abril”, declarou ele.

 

PIB dos países no 1º trimestre de 2013 (Foto: Editoria de Arte/G1)

 

 

Comparação internacional

Mantega também avaliou que o crescimento da economia brasileira aconteceu em um cenário internacional “adverso” – o que dificulta as exportações nacionais, principalmente de produtos manufaturados (industrializados). “Como crescemos mais do que boa parte doa países,  importamos mais e exportamos menos”, acrescentou.

Na comparação com outros países, ainda segundo o ministro da Fazenda, o Brasil foi um dos “poucos países” que manteve o crescimento.

“Os países emergentes, com o México e Chile, tiveram desaceleração. Tivemos crescimento maior do que os países da Zona do Euro. Os Estados Unidos foram um dos poucos países com crescimento maior no primeiro trimestre do que no quarto. Na comparação internacional, diria que o Brasil está bem”, concluiu ele.

Fonte: http://g1.globo.com/economia/noticia/2013/05/governo-nao-pretende-adotar-novas-medidas-de-estimulo-diz-mantega.html

 

Filipe dos Reis Gomes  n°11    G-2/3ºB

‘Enem Nota Máxima’ traz dicas para o aprimoramento do aluno

A coleção “Enem Nota Máxima” apresenta questões, propostas de redação e dicas para o aprimoramento do aluno, como sugestões de livros, filmes, sites e passeios. A série é assinada por um grupo de especialistas, com os comentários de Gilberto Dimenstein, Luis Carlos de Menezes, Marcelo Leite, Marcos Bagno, Nilson Machado, Raquel Rolnik e Rodrigo Lacerda.

Usando questões relacionadas às novas tecnologias, “Matemática e suas Tecnologias” faz com que o estudante perceba como a matemática aparece no cotidiano. Um exemplo é a criação e o uso de código de barras. O contexto permite que o conhecimento matemático em outras áreas.

Os dois volumes de “Ciências da Natureza e suas Tecnologias” examina temas pertinentes para a sociedade como distribuição e uso da energia, acesso e uso da água, mudanças climáticas e saúde.

Com quatro volumes, “Linguagens, Códigos e suas Tecnologias” explora temas relacionados à arte, cultura e literatura. As propostas de redação focam em assuntos transversais que aparecem nos documentos oficiais da educação, como diversidade, desigualdade de gênero, o papel do idoso e proteção à criança e ao adolescente.

“Ciências Humanas e Suas Tecnologias” apresenta os temas que apareceram com frequência, entre 2009 e 2012, e que possivelmente serão explorados em provas futuras, dada a sua relevância. Os dois livros trazem temas como avanço da tecnologia, urbanização e questões ambientais, a preservação da memória em um mundo globalizado, os movimentos sociais, a relação entre mídia e poder e a democracia no Brasil.

Imagem

 

Fonte: http://www1.folha.uol.com.br/livrariadafolha/

Renato Fontebasso Augusto – n°33 3°A – G2

Imagem

Cientistas criam exame de sangue para detectar depressão em jovens

Cientistas criam exame de sangue para detectar depressão em jovens

Hoje, médicos e psiquiatras fazem o diagnóstico da depressão com base no relato dos pacientes sobre seus sintomas – o que é algo totalmente subjetivo, ainda mais porque às vezes a tristeza tem motivo (perda de um ente querido, fim de um casamento etc.) e nem sempre isso é levado em conta.
Agora, pesquisadores da Northwestern University (EUA) desenvolveram uma opção que pode ser muito mais confiável: um exame de sangue capaz de diagnosticar a doença em adolescentes e diferenciar a depressão maior e a depressão maior combinada com ansiedade.
O teste, desenvolvido ao longo de um período de mais de 10 anos, pôde identificar mais de 25 marcadores genéticos (mais precisamente, no RNA mensageiro) para a depressão com base em estudos com ratos gravemente deprimidos e ansiosos (pois é, os bichos também podem ter dessas).
Estudos adicionais em seres humanos descobriram que muitos desses marcadores também são válidos para adolescentes humanos, e a combinação entre eles permitiu aos pesquisadores usarem o exame de sangue por si só para determinar com precisão quais dos voluntários estavam deprimidos e/ou ansiosos e quais estavam completamente sãos.
Mas uma das autoras do estudo, a professora de psiquiatria Eva Redei, disse ao site FoxNews.com que o teste não deve eliminar as conversas entre o médico e o paciente para o diagnóstico. A ideia é servir apenas como um complemento. “O teste apenas ajuda a informar. Queremos dar aos pacientes deprimidos – e existem muitos – a mesma chance que nós estamos dando para quem sofre de diabetes, hipertensão e outras doenças para as quais existem exames”, explicou ela.
Vencendo estigmas
Segundo Redei, a meta de longo prazo é não apenas fornecer aos médicos uma ferramenta para diagnosticar pacientes de forma objetiva, mas também remover estigmas relacionados à depressão. Ela explicou que há um pouco de vergonha associada à doença: como até então nao havia um exame como os que existem para diabetes e coisas do tipo, os pacientes muitas vezes não encaram a depressão como uma doença de fato e se sentem culpados por nao conseguirem melhorar o próprio humor. Um exame de sangue comprovando que o problema está em parte enraizado na genética, fora do controle do paciente, pode ajudar.
O teste também pode ajudar muito no tratamento da doença, permitindo entender por que alguns medicamentos funcionam para alguns pacientes e não para outros. “Hoje, mesmo os melhores psiquiatras não podem fazer nada mais do que prescrever de um a três diferentes tipos de medicamentos ou tratamentos baseados na experiência prévia e de tentativa e erro“, disse ela.

Mayara Amanda Biasin n°25 G-2

Um tour por Berlim

Nem sempre podemos viajar para todos os locais que gostaríamos, e vídeos como o que você acabou de ver nos permitem visitar cidades incríveis, nem que seja através de um rápido tour virtual. Ainda bem que existem pessoas dispostas a produzi-los!

O hyper-lapse foi feito por b-zOOmi, que passou seis dias em Berlim registrando os seus passeios com uma Nikon D-7000, juntando tudo depois com a ajuda de editores de imagem e muita paciência. O resultado é bem interessante e só nos deixa com mais vontade ainda de jogar um mochilão nas costas e sair pelo mundo.

Fonte: http://www.megacurioso.com.br/imagens-extraordinarias/30858-faca-um-tour-por-berlim-com-este-incrivel-video-em-hyper-lapse.htm

Renato Fontebasso Augusto nº33 3ºA – G2

No salto e sem dor: como evitar os problemas causados pelo uso do salto alto.

Massagem no fim do dia minimiza os danos do salto alto Foto: Richard Drew / AP

RIO – Sim, a gente adora uma rasteirinha. Mas nada como a elegância de um salto. Para quem quer ganhar uns centímetros a mais, nem se fala. Mas, o uso do salto no dia a dia pode sim causar danos à saúde – além, é claro, de provocar um grande desconforto após algumas horas sobre ele. Entre os principais problemas diagnosticados por especialistas está o encurtamento de tendões, varizes, joanete, tendinite, problemas de coluna e disfunções no joelho. Para evitar esses traumas sem ter que abrir mão do sapato preferido, os fisioterapeutas Felipe Blumemberg e Marcus Barros, que atendem celebridades como Fernanda Paes Leme, Bruno Gagliasso e Carmo Della Vechia, dão dicas preciosas. Vamos a elas:

 

1) SALTOS DIFERENTES: usar diferentes tipos de salto é importante para não forçar uma lesão. Depois de um dia de salto agulha, optar por um sapato plataforma, por exemplo, pode ser uma boa opção porque eles dão melhor distribuição de peso na sola do pé.

2) MUDAR A ALTURA: variar os centímetros do salto mantém a musculatura em estágios de contração diferentes. Quando usar um salto grande, no dia seguinte use um menor e no subsequente, um intermediário.

3) EVITAR LONGAS CAMINHADAS: se para chegar ao trabalho ou ao local do evento for preciso uma longa caminhada, tente levar um sapato mais baixo ou chinelo e trocar pelo salto apenas quando necessário. As modelos são experts em fazer isso antes dos testes.

4) MASSAGEM NO FIM DO DIA: faça um relaxamento nos pés para diminuir a dor após longos períodos.

5) ALONGAMENTO: para manter uma musculatura preparada, utilize dos alongamentos, principalmente na região posterior da perna e na batata da perna, relaxando a musculatura e preparando-a para mais um dia de salto alto.

6) EXERCÍCIOS E ALIMENTAÇÃO: praticar atividades físicas que fortaleçam os músculos, como, natação, caminhada e musculação, é uma boa pedida, assim como a alimentação regrada que pode evitar problemas como cãibras.

Maéli da Silva Ferreira   n°24 3 °B   g-2