Maratona ENEM

O Sistema Anglo de Ensino e sua rede de escolas conveniadas realizam no dia 03 de junho a Maratona Enem. Os interessados podem se inscrever gratuitamente no site www.maratonaenem.com.br, escolher a cidade que deseja realizar a prova e preencher os demais dados.

     Não custa nada participar !!!

A maratona ENEM será composta por 2 tipos de provas:

• Provão para Treineiros: a prova será composta por 60 questões e é destinada a alunos da 1ª e 2ª séries do Ensino Médio (categoria Ensino Médio);

• Simulado Enem versão compacta: a prova será composta por 90 questões e é destinada a estudantes da 3ª série do Ensino Médio e/ou de cursos pré-vestibulares (categorias Vestibulandos).

Além de disputar os prêmios, você também recebe um relatório de desempenho para saber o que precisa estudar mais! Proporcionando aos jovens do Ensino Médio uma preparação para o ENEM.

Não perca mais tempo, as inscrções encerram dia 30/05 !!!

Fonte: http://www.maratonaenem.com.br

Anúncios

Apcalipse Gourmet: coma antes que acabe!!!

ImagemEstudos apontam 13 ingredientes que o aquecimento global e outras catástrofes naturais podem fazer desaparecer da mesa.

Segundo os cientistas, a Terra deve apresentar uma elevação na temperatura de 2 a 3 graus até 2050 e o IPCC (Intergovernamental Panel on Climate Change) prevê um aumento de 5,8ºC nos próximos 100 anos. Se não forem controladas as emissões de gás carbônico, as previsões podem se tornar verdadeiras. Confira 13 ingredientes que podem sofrer com as mudanças:

Chocolate
Segundo estudo da fundação Bill & Melinda Gates, o hábito de comer chocolate custará caro. As principais áreas de cultivo do cacau, Gana e Costa do Marfim, podem sofrer danos definitivos. O problemão é que esses dois países africanos são responsáveis por 2/3 da produção mundial do ingrediente. Para tentar fugir dessa realidade, fazendeiros começaram a procurar regiões mais frias e limitadas para seu cultivo, que precisam de um alto investimento em tecnologia, segundo o Centro Internacional de Agricultura Tropical (CIAT), na Colômbia.

Salmão
Os peixes são produtos sensíveis que vão sofrer muito com as alterações climáticas e a mudança de acidez dos oceanos. Segundo a National Wild Federation, o salmão terá problemas para se  alimentar com os moluscos, cada vez mais ácidos, e também para se reproduzir, já que as ovas serão arrastadas pelos rios.

Uísque
Os amantes da bebida podem sofrer com a falta de quantidade e também qualidade. A Escócia, maior produtor de uísque, poderá ter que enfrentar secas, enchentes e pragas nas áreas de plantio de cereais usados na fabricação da bebida, como o malte. É o que diz uma pesquisa encomendada pelo governo escocês em 2011.

Atum e bacalhau
 Segundo os pesquisadores, algumas espécies marinhas já perderam 90% de sua população total desde 1994. No caso do atum azul e dos peixes conservados como bacalhau, tidos como nobres, a população caiu 92% nos últimos 60 anos. Além da temperatura, essas espécies têm problemas com a pesca predatória.

Vinhos de Bordeaux
 Alguns especialistas dizem que com as alterações do aquecimento global, a região francesa de Bordeaux se tornará imprópria para o cultivo das uvas em 2050. A saída deve ser o uso de espécies geneticamente modificadas, que vão deixar os frutos mais resistentes às mudanças climáticas. O preço, com certeza, vai subir junto com a temperatura.

Arroz
A colheita de arroz já tem mostrado quedas de até 20% no rendimento dos últimos 25 anos. Uma pesquisa norte-americana realizada com 227 propriedades rurais das principais regiões produtoras (Tailândia, Vietnã, Índia e China) relaciona a redução com o aumento de temperatura durante a noite. Para eles, as plantas estão gastando mais energia para respirar em noites quentes, afetando a fotossíntese e o desenvolvimento da plantação.

Mel
As colônias de abelha na Europa, América do Norte, África e Ásia, começaram a dar os primeiros sinais de problemas. Segundo o Departamento de Agricultura dos EUA, as populações de abelha diminuíram de 5,5 milhões, em 1950, para 2,5 milhões, em 2007. Os principais culpados são os agrotóxicos e a poluição, mas uma corrente de cientistas não exclui o aquecimento do planeta que vem alterando a floração como uma das causas.

Banana
O alerta sobre a banana-nanica que vinha sido atacada por parasitas, como o fungo sigatoka-negra, já foi dado há alguns anos. Ainda existe uma penca de tipos de banana por aí, mas no futuro não há como prever se uma nova praga não fará estrago maior. As bananas que consumimos hoje têm baixa variedade genética e, por isso maior vulnerabilidade.

Café
O café também está na mira. Algumas regiões produtoras na América Latina já mostram indícios de queda na produção de seus melhores grãos. Os cafezais precisam de temperatura e clima adequados, além de um equilíbrio entre dias secos e chuvosos e isso não está acontecendo.  As chuvas fortes danificam as flores e o calor intenso acelera a proliferação de fungos. Segundo a Embrapa, se a situação continuar assim, a produção de café no Brasil pode cair 92% até 2100.

Mandioca
Uma pesquisa da Embrapa, baseada na estimativa do aumento da temperatura, é mais pessimista em relação à raiz. Para o órgão, a mandioca corre sério risco de desaparecer ainda em 2020 em áreas cada vez mais quentes, como o semi-árido nordestino. Por outro lado, outras áreas não terão temperatura suficiente para a produção.

Pinhão
A associação internacional Slow Food criou uma lista de alimentos que correm o risco de desaparecer nas regiões em que são nativos ou pratos típicos com modo de fazer específico tradicional. A lista brasileira conta com mais de 20 produtos, entre eles o pinhão tradicional da região sul e das serras. A principal ameaça do pinhão é a coleta não sustentável.

Palmito
O palmito-juçara é outro que está na lista da Slow Food Brasil e pelo mesmo motivo: coleta não sustentável. A planta quase sumiu de vez, até que seu consumo começou a ser substituído pelo do palmito pupunha, de cultivo mais fácil.

fonte: http://comida.ig.com.br/comidas/2012-05-16/apocalipse-gourmet-coma-antes-que-acabe.html

As 12 principais dúvidas sobre a escolha da profissão

Muitos de nós, estudantes, temos ainda muitas duvidas que, ao longo do tempo, vão nos “atormentando”: O que devo fazer de faculdade? Será que vou fazer a escolha certa? E se eu não me der bem na área em que escolher? …

Foi pensando nisso que encontramos um local onde podemos tirar algumas dessas dúvidas, que muitas vezes, nos tiram o sono. É uma espécie de entrevista. Muito bom!!! Segue o link:

http://vestibular.brasilescola.com/orientacao-vocacional/as-12-principais-duvidas-sobre-escolha-profissao.htmImagem

Reciclados trocados por verduras

Um projeto mantido pela prefeitura de Jundiaí, atende cerca de 500 famílias de bairros carentes, os moradores podem trocar materiais recicláveis por verduras. A horta tem cerca de 10 mil pés de alface, chicória, beterraba, cenoura e couve, as verduras são embaladas e colocadas em uma perua que percorre nove centros de submoradia. Esse projeto apresenta uma forma de moradores carentes ter acesso á uma alimentação saudável, e ainda por cima ajuda o meio ambiente.

Para ver o video da reportagem acesse: http://g1.globo.com/sao-paulo/sorocaba-jundiai/noticia/2012/05/moradores-de-jundiai-sp-trocam-reciclaveis-por-verduras.html

Síntese da Química Orgânica

Você sabe como a Química Orgânica chegou até hoje para nós? Como foi se desenvolvendo? Quais foram as principais mudanças ou o que aconteceu durante todo este tempo?

A síntese orgânica representou um marco capital na História da Química, conduzindo ao fim da filosofia vitalista que considerava que as substâncias constitutivas dos animais e das plantas eram de natureza diferente dos corpos minerais, não obedecendo às mesmas leis, nem podendo ser feitas em laboratório. Quase dois séculos volvidos, a filosofia emergente é, agora, a de uma síntese verde, ambientalmente mais sustentável.

Conheça toda a história da síntese da Química Orgânica:

http://www.spq.ubiktek.pt/revistas/Boletim/BSPQ_N120/BSPQ_N120.pdf     (Boletim Inteiro – Paginas 39,40 e 41)

ou 

http://www.spq.pt/boletim/docs/boletimSPQ_120_039_09.pdf

 Imagem

FICA A DICA BRASIL!

O fragmento a seguir foi retirado de um site do Governo Federal sobre a conferência das Nações Unidas sobre desenvolvimento sustentável da qual o Brasil vai sediar neste ano:

“Brasil na Rio+20

Desde a Rio-92, o tema do desenvolvimento sustentável ocupa lugar central na política externa brasileira. A proposta do país de sediar a Rio+20 se enquadra nessa prioridade, ao criar oportunidade para que todos os países das Nações Unidas se reúnam, mais uma vez no Rio de Janeiro, para discutir os rumos do desenvolvimento sustentável para os próximos vinte anos.

Na qualidade de Presidente da Conferência, o Brasil será responsável pela coordenação das discussões e trabalhará para a formação de consensos e adoção de decisões concretas que visem ao objetivo do desenvolvimento sustentável. 
….
É especial o significado de realização da Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável no Rio de Janeiro. Como sede da Cúpula da Terra, que consolidou o conceito de desenvolvimento sustentável em 1992, o Rio de Janeiro é o local ideal para realização da Rio+20, que apontará os caminhos futuros do desenvolvimento. O legado da Rio-92 – principalmente a Declaração do Rio, a Agenda 21, a Convenção Quadro sobre Mudança do Clima e a Convenção sobre Diversidade Biológica – estarão associados para sempre à lembrança da intensa participação da sociedade civil em debates da ONU, gerando o que se chamou de  “espírito do Rio”.

….”

(Fonte: http://www.rio20.gov.br/brasil)

Em contra partida, sabemos que um dos assuntos mais discutidos na nossa cidade nos últimos dias são os projetos milionários de especuladores imobiliários de Jundiaí que dão uma banana para a ecologia e a preservação do meio ambiente, conceitos que, na visão deles, servem apenas para atrasar o “progresso”.

Há quem diga que a Serra do Japi, considerada Patrimônio da Humanidade pela UNESCO, não passa mesmo de uma propriedade privada sobre a qual bem nascidos e celebridades devem ter o direito de fazer o que bem entenderem.

Agora a pergunta é: Será que o governo brasileiro não sabe disso? Como o País sedia uma conferência em prol a preservação ambiental, e em uma das mais importantes cidades do estado de São Paulo acontece uma discrepância desse tipo? Porque o governo não toma partido dessa causa e proíbe essa ação que vai criar um impacto tão grande na biodiversidade dessa herança da cidade?

Não seria então correto fazer uma conferência que tivesse como objetivo formalizar que quem tem poder aquisitivo está acima de qualquer responsabilidade sobre o ataque ao meio ambiente? Fica a dica Brasil!Image 

Link

cultura de graça para todos!

cultura de graça para todos!

  Senhoras e senhores, para quem acha que jundiaí é uma cidade parada sem muitas atrações culturais ou quando temos algo o preço não é acessível, esta ai uma oportunidade de você curtir a virada cultural de jundiaí 2012.

São varias atracões como teatro, dança, musica, cultas e longas metragens (produzida por jundiaienses e outros artistas da região), oficinas, cosplay, stand-up, literatura, intervenções, entre outros e o melhor de tudo, É DE GRAÇA!

Nos dias 19 e 20 de maio por toda a cidade. Para participar, basta levantar, escolher as atracões e curtir por ai!. mais informações:http://www2.jundiai.sp.gov.br/?p=29016