Os Lados da Planta… A Discriminalização da Cannabis no Brasil

*ATENÇÃO: as informações mostradas a seguir não fazem qualquer apologia ou incitação ao uso da maconha e outras drogas, é somente mais um informativo sobre os efeitos (seja eles bons ou ruins) e julgamentos de mais uma das espécies de plantas nativas do Brasil.
Aqueles que se sentirem lesados e ofendidos com a postagem a seguir, lembrem-se, o blog não faz pré-conceitos de temas abordados e públicos leitores. Qualquer uma das informações podem ser retiradas a qualquer momento pela reação de público ou reivindicações do mesmo.

Campanha para a ilegalização da maconha em 1935.

Legalização, Política,  Criminalização…

A campanha pela legalização da Cannabis ganhou força a partir das décadas de 1980 e 1990, notadamente apoiada por artistas e políticos liberais. No Brasil, é uma das bandeiras do político Fernando Gabeira, que tentou implementar o cultivo do Cânhamo para fins industriais. Além de Fernando Gabeira, temos também outro Fernando que ergue a bandeira da legalização para uma reformulação da Política Mundial de Drogas e Entorpecentes, começando com a legalização da Cannabis para uso pessoal e terapêutico; Trata-se do Ex-Presidente Fernando Henrique Cardoso com mais outros Ex-presidentes de países latino-americanos.

Mas será que o uso da planta é tão ruim assim? Por ser um vegetal, ele é considerado droga? E seus efeitos? Serão eles, reais? Muitas dessas perguntas intrigam e fazem refletir sobre a Maconha (principal produto da Cannabis). De um lado os médicos, que afirmam que o uso deste agente pode ser muito útil em medicinas alternativas, do outro lado fumantes, que optam por legalizar a planta por ser um vegetal e não uma droga fabricada industrialmente de maneira artificial, e ainda as pessoas, que não querem que a Cannabis seja legalizada por motivos socio-particulares (educação de filhos, “educação social” com outros não fumantes, etc.).

No Brasil, movimentos que apoiam a Legalização da Cannabis já acontecem todos os anos em algumas metrópoles do país, conhecida como Marcha da Maconha, a passeata reúne centenas de pessoas que saem as ruas expressando o seu pensamento liberal sobre o uso do agente.

Na última tentativa de Marcha da Maconha em São Paulo, 2011, ela foi censurada pela Polícia Federal com apoio da Ordem Pública e foi obrigada a mudar seu nome para Marcha da Livre Expressão. Mesmo com outro nome, o protesto ainda pregava os seus ideais sobre a Legalização e foi recebido com grande choque da polícia, muitos foram presos por “Perturbação da paz” e outros vaiavam enquanto a lei se fazia presente.

Estudos, Canabinol, Terapias Alternativas… 

Embora o valor medicinal da Cannabis tem sido muito debatido, ela tem vários efeitos benéficos. A planta é indicada para tratar e prevenir náuseas e vômitos, para tratamento de Glaucoma, bem como um analgésico geral. Estudos individuais também foram realizados indicando a Maconha para um tratamento com a Esclerose. Extratos de Cannabis também foram criados e vendidos legalmente como medicamentos prescritos nos Estados Unidos, principalmente para o tratamento da dor e náusea.

Em 2009, um americano entrou para o Guiness Book como a pessoa que mais fumou Maconha legalmente no mundo. Irvin Rosenfeld possui um câncer raro nos ossos e recebe a maconha gratuitamente do governo americano como tratamento. O paciente afirma já ter fumado cerca de 115 mil cigarros (baseados) de Cannabis medicinal, uma média de 10 a 12 por dia, desde 1981. Ele foi o segundo paciente a se beneficiar da lei que autoriza o uso de maconha para fins terapêuticos nos Estados Unidos.

Ainda há estudos que comprovam que a utilização da Cannabis auxilia no tratamento de “maus psicológicos” no ser-humano, tais como Esquizofrenia, Transtorno Bipolar e Depressão. Existe muitos estudos sobre os efeitos do THC no homem, alguns ainda em conclusão, dentre eles estão: Câncer de Mama, HIV, Câncer no Cérebro, Esclerose Múltipla e Alzheimer.

A Planta Psicoativa!

Cannabis Sativa

Cannabis (popularmente conhecida no Brasil como Maconha) é uma das milhares de espécies de plantas nativas do país. Se adapta facilmente ao clima sub-tropical, com três variações, sendo eles: Sativa, Incica e Ruderalis.

A forma herbácea da planta consiste de flores femininas maturas, e nas folhas que subtendem das plantas pistiladas (femininas). A resina, conhecida como haxixe, consiste fundamentalmente de tricomas glandulares coletados do mesmo material vegetal.

Cannabis e seu THC

O principal composto químico psicoativo presente na Cannabis é o Tetra-Hidro-Canabinol (comumente conhecido como THC) – cuja concentração média é de até 8% na planta, mas algumas variedades de Cannabis (cruzamentos entre a espécie Cannabis sativa e a Cannabis indica) comumente conhecidas como Skunk, produzem recordes na marca de 33% de THC.

Detalhes e Detalhes…

Formas de Consumo: inalação direta, vaporização e produtos resultantes.

Produtos: maconha (planta desidratada), haxixe (resina concentrada), kief (pólen em forma de pó) e óleo de haxixe (retirado da planta através de solventes).

Efeitos Fisiológicos: olhos (vermelhidão, diminuição da pressão intra-ocular); boca (secura); derme (sensação de calor e frio); músculos (relaxamento).

Efeitos Psicoativos: estimulante, sedativo, alucinógeno ou antipsicótico.

Duração de Efeito Psicoativo: 2 a 6 horas dependendo da quantidade de THC presente na planta ou no seu produto.

Saiba mais >> http://pt.wikipedia.org/wiki/Cannabis & http://www.psicosite.com.br/tra/drg/cannabis.htm

Agora a questão fica com você!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s