Elaboração de Referências em trabalhos acadêmicos (3 de 4)

Dicas preciosas para você fazer as referências de seus trabalhos direitinho

No artigo anterior sobre as Normas da ABNT, você verificou como é feio se apropriar do conhecimento alheio, sem citar a fonte. Todo mundo gosta de receber créditos e saber que um conteúdo disponível, seja na internet ou em um livro impresso, ajudou e realmente foi útil para outras pessoas. Mas além de citar os autores no corpo do texto, você também deve criar uma lista com todo o referencial teórico consultado durante o desenvolvimento de seu trabalho. E essa lista terá as “Referências” do trabalho. O referencial teórico é um elemento obrigatório nos trabalhos e cada tipo de documento informacional que foi usado, como livros, filmes, monografias, mapas etc. deve ser referenciado.

Os livros, sem dúvida, são os documentos mais usados como base para fazer um trabalho. As referências desses documentos são semelhantes aos de uma monografia (com algumas peculiaridades que serão citadas), manuais, dicionários, enciclopédias entre outros. Os elementos principais para referenciá-los são os seguintes:

Sempre, eu disse sempre, você vai começar a referência pelo sobrenome do autor em letra maiúscula, seguido de seu nome com apenas a primeira letra maiúscula. Depois, coloque um ponto. Agora, insira o título do livro com um destaque, que pode ser em negrito, itálico ou sublinhado.

Coloque um sinal de dois pontos e digite o subtítulo do livro. Em seguida, adicione a edição do livro apenas sob a forma de numeral. Ponto. Insira o local de publicação do livro seguido de dois pontos. Agora, escreva o nome da editora, coloque uma vírgula e o ano de publicação. Mais um ponto. Adicione o número de páginas do livro e ponto final.

Tenho certeza que depois de ler os dois parágrafos acima você pensou: “é muita coisa e tudo é muito complicado, não quero mais saber disso”, mas não é, e não desista! As notações e todos os pontos e vírgulas devem ser inseridos corretamente, pois fazem parte da norma. Nos exemplos você vai identificar as abreviações de edição e páginas. Para facilitar a visualização e fixação da seqüência, segue um “esqueminha” ninja:

É como se fosse uma receita de bolo, você pode segui-la à risca, bem como pode acrescentar alguns ingredientes que forem necessários. Isso vai acontecer no caso de mais de um autor. Mas, existem alguns dados, como o número da edição do livro, que, caso você não cite em seu trabalho, não farão com que você perca pontos. Veja alguns exemplos com as abreviações corretas:

Livro: apenas um autor e nome por extenso

VAZ, Conrado Adolpho. Google Marketing: o guia definitivo do marketing digital. 2. ed. São Paulo: Novatec Editora, 2007. 480 p.

Livro: apenas um autor e nome abreviado

VAZ, C. A. Google Marketing: o guia definitivo do marketing digital. 2. ed. São Paulo: Novatec Editora, 2007. 480 p.

Livro: até três autores com nome por extenso

GOMES, Elisabeth; BRAGA, Fabiane. Inteligência Competitiva: como transformar informação em um negócio lucrativo. 2. ed. São Paulo: Editora Campus, 2007. 142 p.

Livro: até três autores com nome por abreviado

GOMES, E.; BRAGA, F. Inteligência Competitiva: como transformar informação em um negócio lucrativo. 2. ed. São Paulo: Editora Campus, 2007. 142 p.

Livro: mais de três autores

Este exemplo é até mais fácil que os demais. Quando um livro tiver mais de um autor, você deve seguir a mesma seqüência acima, entretanto colocará apenas o nome do primeiro autor, seguido da expressão et al., que vem do latim e significa “entre outros”.

BEGA, Egidio Alberto et al. Instrumentação Aplicada ao Controle de Caldeiras. 3. ed. Rio de Janeiro: Interciência, 2003. 180 p.

A seguir, você pode conferir a referência de uma tese de mestrado. Note que os elementos essenciais estão presentes, acrescentados por especificações como o nome do curso de mestrado, Universidade e professor orientador.

FAGUNDES, S. A. Leitura em análise documentária de artigos de jornais. Marília, 2001. 322 p. Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação) – Universidade Estadual Paulista, São Paulo, 2001. [Orientadora: Profa. Mariângela Spotti Lopes Fujita].

Caso a sua referência tenha sido um trabalho de conclusão de curso, ela ficará deste jeito:

XAVIER, A. C. Processamento informacional de um jornal histórico com vista à sua disponibilização na internet. 2007. 80 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Gestão da Informação) – Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2007. [Orientador: Prof. Dr. Ulf Gregory Baranow].

Monografia online

Mas agora suponha que esta mesma monografia esteja disponível no site da Universidade e que você tenha acessado o conteúdo exatamente neste formato pela internet. A referência ficará assim:

XAVIER, A. C. Processamento informacional de um jornal histórico com vista à sua disponibilização na internet. 2007. 80 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Gestão da Informação) – Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2007. [Orientador: Prof. Dr. Ulf Gregory Baranow]. Disponível em: . Acesso em: 6 nov. 2008.

Sempre, mais uma vez eu disse sempre, que um documento estiver em um formato online e que tenha sido encontrada na internet, você deve colocar no final da referência o link de acesso entre os sinais de < > e data em que o conteúdo foi acessado. Basta seguir exatamente a expressão usada acima, e tudo está certinho. 

Quando o artigo for de uma revista, coloque o sobrenome do autor em letra maiúscula, seguido se seu nome com apenas a primeira letra em maiúsculo. Digite o título do artigo, coloque dois pontos caso ele tenha um subtítulo e digite ponto. Insira o nome da revista em que o artigo foi publicado, destacando-o com negrito, itálico ou sublinhado. Digite vírgula, o volume da revista, vírgula novamente, o número da revista, mais uma vírgula, período em que o artigo foi publicado, vírgula, ano de publicação e ponto final.

SOBRENOME DO AUTOR, Título do artigo. Nome da revista, volume, número, período de publicação, ano de publicação.

Exemplos:

LIMA, V. M. A. Estudos para implantação de ferramenta de apoio à gestão de linguagens Documentárias: vocabulário controlado da USP1. Revista Transinformação, v. 18, n. 1, jan./abr., 2006.

LOPES, I. L. Uso das linguagens controlada e natural em bases de dados: revisão da literatura. Ciência da Informação, v. 31, n. 1, p. 41-52, jan./abr. 2002.

A notação para volume é apenas a letra “v”, em minúscula, acrescentada por um ponto e o número em algarismo arábico. O mesmo ocorre para os números das revistas, mas com a notação “n”, também em minúsculo. Os períodos de publicação em meses, sempre (eu disse sempre?), são expressos abreviadamente. Confira uma tabela com as abreviações para os meses.

Abreviação dos meses do ano.

Artigo online de uma entidade

NISO. National Information Standars Organization. Understanding Metadata. Disponível em: http://www.niso.org/standards/resources/UnderstandingMetadata.pdf. Acesso em: 02 jun. 2007.

Artigo publicado na internet

ROSETTO, M.; NOGUEIRA, A. H. Aplicação de elementos metadados Dublin Core para descrição de dados bibliográficos on-line da biblioteca digital de teses da USP. Disponível em: . Acesso em: 13 abr. 2007.

Órgãos do Governo

BRASIL. Ministério Público Federal. Rede de Bibliotecas. Indexação: orientações técnicas. Brasília, DF, 2005.

Legislação

BRASIL. Código civil. 46. ed. São Paulo: Saraiva: 1995.

Fonte: TecMundo

About these ads

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

%d blogueiros gostam disto: